9 de ago de 2014

Sorvete que brilha no escuro - Cornetto - Bompas & Parr

O estúdio de Design de alimentos Bompas & Parr  criou uma versão do Cornetto que brilha no escuro




"A equipe da Cornetto queria fazer um lanche à base de cinema que você pode comer e ainda ver no cinema sem interromper o filme", ​​co-fundador Sam Bompas disse Dezeen. 


Para fazer o creme brilhoso, os designers impregnaram o Cornetto com riboflavina - ou vitamina B2 - que brilha  sob certos comprimentos de onda de luz.

Uma Luz UV foi colocada no cinema para iluminar o sorvete sem prejudicar a visão da tela.
A riboflavina tem um sabor amargo, mas isso foi mascarado pela quantidade de açúcar e gordura no chocolate e menta-chip do sorvete.

"Isso é algo que temos estamos testando a um longo tempo", explica Sam Bompas.
A equipe pensou na ideia e criou uma série de molhos para sobremesas que são infundidos no mesmo "elemento brilhante", feito a partir de bactérias geneticamente modificadas.


"Isso é algo muito especial", disse Bompas. "Usamos a mesma enzima que um vaga-lume ou água-viva  usa para fluorescência, mas nós usamos para fazer a sobremesa."
A enzima não necessita de luz ultravioleta para brilhar e pode ser visto no alimento sob condições normais de luz.


"Não há nenhum truque, basta colocar uma gota e você vê a flor de fluorescência na frente de você", disse Bompas. "É totalmente orgânica e natural, se você está bem com organismos geneticamente modificados."
Esses projetos seguem uma série de geléias glow-in-the-dark que Bompas & Parr criaram para uma exposição no SFMoMA, feito com água tônica, que contém quinino que brilha sob uma luz UV.


 "Desde então, temos desenvolvido uma série de técnicas e ingredientes para fazer brilho alimentos lindamente e ainda saborear a deliciosa", finaliza Bompas.



0 comentários:

Postar um comentário